A Energia que te move!

Energia na Véia



As músicas que fizeram a história da música dance pop têm espaço garantido na Energia 97 FM. 

Logo cedo, Silvio Ribeiro e a "Véia" apresentam desde Donna Summer até Rick Astley com informações do trânsito e muito humor. Durante o programa, sets com os melhores DJs de flashback de todos os tempos.


PROGRAMAÇÃO


APRESENTADOR
Silvio Ribeiro

DOMINGO
Celsinho Double C - 07h30 às 08h
Michel Noya - 09h às 09h30

SEGUNDA
Marcos Freitas - 07h30 às 08h

TERÇA
Robson Braga - 08h às 08h30

QUARTA
Wagnão - 08h às 08h30

QUINTA
Akeen - 08h às 08h30

SEXTA
Cadico - 08h às 08h30

SÁBADO
Beto Nini - 07h30 às 08h
Vadão - 09h às 09h30



5 coisas dos anos 90 que você nem lembrava que já existiram


Não sei se vocês já perceberam, mas está rolando uma volta dos anos 90. Calça jeans de cintura alta, camisa amarrada na cintura, cropped e tênis. Sem falar na febre do Pokémon Go, que levou esse retorno dos ’90s a um outro nível!


  1. Entretanto, antigamente, a galera capturava Pokémons de um jeito um pouco diferente: através de cards. Já era uma loucura! Mas causava menos acidentes, precisamos confessar.



2. Champion Troca Pulseira? Que nada! Muito antes da tendência dos relégios supercoloridos, existia uma marca chamada Baby-G e, se você não tivesse um dos modelos abaixo, você não era cool o bastante. O problema é que ele não era assim tão em conta. Aí, complicava, né?



2. Calma, não se assustem, isso não é um monstro pré-histórico! Antigamente, existia uma coisa chamada retroprojetor. Você imprimia a apresentação do trabalho em uma folha transparente, colocava no aparelho e ela era refletida no telão. Ainda tem um desse na sua escola? Sempre tem um perdido por aí…


3. Pirulito com chiclete não chegava nem aos pés do Push Pop. Era tão legal colocar o dedo indicador no centro da embalagem e empurrar o bastão para cima! A única parte chata é que o dedinho suava e ficava todo molhado. Eca!


4. Os perfumes Ma Chérie e Thaty, da O Boticário, eram o verdadeiro cheirinho da riqueza. E se você fechar os olhos e se concentrar, ainda consegue sentir o aroma (da nostalgia)!


5. Apple? O que é isso?! A última novidade eram os computadores Compaq coloridos. Era possível trocar a cor da capa que revestia a CPU. Tinha laranja, verde, vermelho, roxo… Vocês, jovens, nem sabem o que é isso, né? (risos)



Moda Anos 80: Intensa, inovadora e eclética


Se você acha que é novidade juntar blazer com short e camiseta, saiba que não é… Na moda anos 80, essa tendência era muito comum.



Em 1980, as mulheres conquistavam cada vez mais espaço no mercado de trabalho. O blazer apareceu no guarda-roupas das executivas como forma de igualá-las aos homens.

A peça era quadrada, com ombreiras pesadas, bem diferente dos modelos de hoje. Mas logo começou a compor looks mais descontraídos.

E não foi só isso! Para entender um pouco mais sobre a moda oitentista, é preciso voltar no tempo e visualizar o final do período anterior, a moda anos 70. O panorama social e fashion dos últimos momentos da década de 1970 mais precisamente.

Em 1977, com o sucesso do filme “Os Embalos de Sábado à Noite, a discoteca estava com tudo, tendo no ator John Travolta a grande estrela. O personagem dele exibia conjunto de paletó e calça branca em uma das cenas mais memoráveis da produção, que virou hit em pouco tempo.



Naquele tempo, a ordem era dançar, dançar e dançar. Para isso, as pessoas usavam calças boca-de-sino e plataformas.

No Brasil, a moda Disco ganhou força com ajuda da novela Dancin’ Days, exibida em 1978 pela Rede Globo de Televisão. O destaque dela era uma mulher, Júlia, interpretada pela atriz Sônia Braga.

Ela ditava as tendências, que incluam meias soquete usadas com sandália e roupas metalizadas.



Enquanto a galera soltava o corpo com muito brilho e colorido nas danceterias, lá na Inglaterra, o marco de despedida dos anos 70 não tinha nada desse tom descontraído e alegre. O movimento Punk trazia tachas, alfinetes, jaquetas de couro e cabelos espetados.

A estética foi influenciada pela estilista Vivienne Westwood e Sid Vicious, ex-baixista da banda Sex Pistols, era o maior ícone do movimento.


A moda anos 80: movimentos, música e expressão



Portanto, a moda anos 80 começou com essa mistura de situações, ideias, comportamentos e estilos.
O Punk, por sua vez, abriu caminho para outra tendência musical e visual que seria notada praticamente durante toda a década, o New Wave.

Na verdade, há quem diga que este movimento começou ainda no final dos anos 70, lá nos Estados Unidos, juntando elementos do Punk e do chamado Glam Rock andrógeno.

Na prática, isso significava vestir coisas vibrantes, cítricas, muito chamativas, mas com os cabelos espetados e cheios de gel, além de looks com uma pegada masculina.

A moda anos 80 que trazia essa vibe teve como ícones as cantoras Nina Hagen, Cyndi Lauper e as bandas Talking Heads, B-52’s e Blondie.

A estética New Wave era colorida, fluorescente. Em conjuntos ou peças misturadas, o importante era brincar com as tonalidades e os materiais das roupas e acessórios.

Os tecidos, que já vinham em pleno processo de inovação na década anterior, ficaram cada vez mais surpreendentes. O strech, que é usado até hoje, foi um dos hits oitentistas. Naquele tempo, proporcionava um ar futurista às peças. Quem diria…

Impossível falar da moda anos 80 sem lembrar dos astros do pop Michael Jackson e Madonna, grandes influências no cenário fashion.

O primeiro caprichava em jaquetas extravagantes, cheias de zíperes. Já Madonna abusava do tule, ombreiras, minissaias, leggings, meia arrastão make pesada.


A moda anos 80 vai muito além…Também teve espaço para a moda aeróbica e suas polainas, roupas de lycra e colantes. Afinal de contas, não bastava estar bem-vestido e ser bem-sucedido; era preciso ter um corpo bonito e saudável para alcançar o sucesso pleno.

Os anos de 1980 tinham como marca o exagero, a ostentação, o luxo, o poder e o status. Com certeza, uma palavra só não conseguiria definir um período tão intenso que continua atraindo olhares até os dias de hoje.











Sítio do Picapau Amarelo (1977) - Primeiro Episódio



O Sítio do Picapau Amarelo foi ao ar em 1977. Nesse ano, a primeira historinha adaptada a ir ao ar foi "O Picapau Amarelo", um episódio piloto que teve ao todo 90 capítulos. Abaixo, você poderá conferir a narração (sim, o programa quando começou tinha narrador) do primeiro capítulo do primeiro episódio.

“Longe, muito longe dos edifícios altos e das cidades grandes, num lugar em que não há máquinas ruidosas para demolir o velho e construir o novo em nome de uma febre que se chama progresso; num pedaço de terra, em que a paz e o sossego ainda são muito mais importantes do que um arranha-céu ou do que qualquer aparelho de conforto, no ramal desconhecido de uma velha ferrovia esquecida junto a um povoado tranqüilo e pacato existe um sítio que só mesmo a imaginação de um homem genial poderia ter criado.

É lá que a prodigiosa Tia Nastácia cuida das flores com o mesmo carinho que prepara os bolinhos mais deliciosos do mundo; é lá, que numa casinha simples vive Dona Benta Encerrabodes de Oliveira, a mais feliz das vovós e sua neta Lúcia, a menina do narizinho arrebitado – Narizinho como todos a chamam - e Emília, uma boneca toda desengonçada feita de retalhos pelas mãos da boa Tia Nastácia.Emília é desengonçada sim, mas é a boneca de que Narizinho mais gosta e este lugar tão feliz, tem um nome encantado. É lá O SITIO DO PICA PAU AMARELO”.

Wilson Rocha: um programa se faz com Lobato e imaginação

Quando foi ao ar, em 1977, o Episódio O Picapau Amarelo, o formato do programa ainda não estava definido. Não havia as famosas vietas que abriam os títulos dos episódios; os episódios eram narrados e eram compostos da seguinte fórmula de produção: imaginação e textos de Monteiro Lobato. Os primeiros noventa capítulos que abriram a série de 1977 e encantaram o público do país inteiro contavam as histórias dos livros Reinações de Narizinho( a parte da ida ao Reino das Águas Claras) e Caçadas de Pedrinho ( uma breve introdução da história da caçada à onça e a historinha do Quindim).
Em entrevista, o autor Wilson Rocha nos conta a sua experiência em por ao ar essa divertida história:
“Quando o Sítio começou, os autores éramos apenas eu, o Paulo Afffonso Grisolli (recém falecido), e - por um curtíssimo espaço de tempo, o Giuseppe Ghiaroni. Logo o Ghiaroni saiu para o SBT, e ficamos eu e o Grisolli. Esse "episódio" contínuo não era bem como você diz. Eu e Grisolli íamos narrando por nossa conta, sem a exata ordenação de que personagem é criado, quem aparece e quando...Não havia uma sinopse. O líder dessa fase era o Grisolli, com quem eu trabalhava grudado, e o Ghiaroni era mais uma espécie de caudatário da dupla, que contribuía com excelentes idéias, mas que - do mesmo modo que eu - não conseguia conter o ímpeto criativo do Grisolli, sempre brilhante e incontrolável. Lembro que inventamos um cara que ficou preso numa urna (vaso) árabe, e que viajava como presente de parentes para o Elias Turco, e nunca conseguia chegar ao arraial de Tucanos. Lembro de uma família italiana maluca, que, como a tal urna, jamais esteve em Lobato. No meio disso a fuga de um rinoceronte, que ia parar no Sítio, e se torna Quindim. Era muito divertido, mas não era Lobato puro. O que nós fazíamos era uma série contínua e com pouco Lobato. Mas, naquela fase minha com o Grisolli, a direção da Globo teve o bom senso de nos mandar parar com a "loucura" e voltar a Lobato, e com episódios fechados de 20 a 30 capítulos, como ficou até o fim. Eu e Grisolli fizemos assim 70 capítulos, e, porque reagiu e não concordou, o Grisolli foi afastado, e, para escrever pouco mais de um ano, sem nenhum contato comigo, veio o Benedito Ruy Barbosa, que depois também saiu, dando lugar ao Marco Rey e ao Sylvan Paezzo, que criaram comigo pelo resto dos dez anos que o Sítio durou. Como te disse, não há sinopse geral. Cada um dos 70 capítulos teve uma longa e detalhada escaleta de assuntos, pela qual mais ou menos se podia saber o que acontecia em cada um.”



coisas que só as adolescentes dos anos 90 sabem


Como era legal responder cadernos de enquete.


E como era divertido escrever na sua agenda.


Como era duro decalcar figurinhas Ploc Monsters SEM NENHUMA FALHA nas margens do caderno.


Como era um prazer tirar a Capricho do plástico.



E, quando o dinheiro não dava, comprar uma similar.


Como era um barato (e barato) pintar o cabelo com papel crepom.



5 Fotos que somente quem cresceu nos anos 90 vai entender


Quando as redes sociais eram assim

Os anos 90 foram uma época verdadeiramente maluca: penteados incríveis, roupas de cores "ácidas" e dispositivos eletrônicos recém lançados à venda.

Só aqueles que viveram sua infância e juventude na última década do século XX podem entender as alegrias e as decepções daqueles anos.

E o sapato mais parecia uma ferramenta de tortura



Quando você é o primeiro garoto do bairro a possuir um computador em casa



Quando seus pais prometiam presentear você com um Super Nintendo ou um Megadrive no Natal e apareciam com isto...


Quando as imagens 3D eram assim


5 provas de que foi incrível crescer nos anos 2000


  1. Quando você era pequeno nada era mais legal que assistir "Bananas de Pijama"


.

2. Ou a versão bebês do "Looney Tunes" <3.

3. Já quem nasceu mais pro fim da década se acabava com o "Pingu".


4. E claro "Teletubbies".

5. Você provavelmente aprendeu a tomar banho assim:



Confira as coisas antigas que os jovens de hoje nunca viram .


A geração de jovens de hoje em dia nem imagina as coisas antigas que as pessoas do passado tinham. A tecnologia, por exemplo, era bem mais restrita e não muito avançada, fazendo com que a vida dos seus tios, tias e pais fossem um pouco difícil.

Confira abaixo uma lista de coisas antigas que os jovens de hoje em dia nem sabem o que é.


Cartinhas na escola


Muitas pessoas antigamente, quando queriam conversar com o colega durante a aula, mandavam cartinhas deste jeito. Pois é! Naquele tempo o Whatsapp não estava nem perto de ser o queridinho das pessoas.


Telefone de fio

O telefone de fio em si não tinha nenhum problema. O que as pessoas mais odiavam era essa partezinha, porque ela enganchava em tudo!


Internet discada

Na década de 90 a maior novidade tecnológica era a nossa querida internet. Mas quando ela chegou ao Brasil, era instalada juntamente com a linha telefônica da casa das pessoas. Então se você quisesse olhar os seus e-mails, tinha que desligar o telefone.


Coleção de CDs

Pode acreditar, mas as pessoas mais velhas compravam os CDs físicos há algumas décadas. As lojas de música viviam cheias quando algum artista estava com novas músicas.

Fitas cassetes (VHS)

Os filmes favoritos do seu avô eram armazenados aí, nesta caixinha preta.


Essa pequena lista mostra como estamos mais evoluídos em relação à estas coisas antigas. Provavelmente quando algum adulta ver essas imagens, várias lembranças virão a mente.


Brinquedos perigosos




Com toda a certeza você já viu aquele selo do Inmetro que garante a qualidade dos produto e atesta sua segurança, e também já viu avisos do tipo “este brinquedo não é recomendado pra tal idade por conter peças pequenas que podem ser engolidas...”, tudo para garantir a segurança do usuário, e claro que você sabe que nem sempre isso foi assim.

A AC Gilbert foi uma das principais fabricantes de brinquedos entre os anos 1909 e 1964. Um de seus primeiros brinquedos foi o conjunto ereto. A ideia foi desenvolvida por Gilbert quando ele estava em uma viagem de trem e passou o tempo assistindo homens erguendo linhas de energia para os trens elétricos. Este foi apenas um dos muitos brinquedos que ele desenhou para ser divertido e ao mesmo tempo educativo, a maioria voltado a ensinar as crianças tudo sobre construção, arquitetura, ciências e física.

Imagine que com $6,50 (dólar) uma criança podia comprar o Kit Gilbert Kaster. O incrível e completamente seguro brinquedo que permitia criar estatuetas de metal fundido e soldados de brinquedo, simplesmente aquecendo um pouquinho de chumbo na singela temperatura de 200 graus Celsius, para que ele “derretesse”e pudesse ser colocado nos moldes. Claro, toda criança sabe manusear metais perigosos (vocês sabem chumbo não serve só pra matar rato, mas pessoas também, né?) e em altas temperaturas!


Ele também criou uma variedade de kits de microscopia e as crianças podiam escolher entre aqueles que incluíam coisas como pedaços de minerais a pedaços de insetos, tudo pronto para exame ao microscópio.

Um cara que permite crianças criarem seus próprios bonequinhos de chumbo e um kit de microscopia, logicamente faria um pelo conjunto de química, esse Gilbert amava as crianças. Com esse conjunto elas podiam experimentar a mistura e aquecimento de produtos químicos, como o nitrato de sódio, cloreto de amónio, e cloreto de cobalto-e alguns mesmo a incluir diferentes tipos de cianeto (esse eu com certeza gostaria de ter).

Naturalmente haveria de ter o Kit Gilbert Glass-sopro, afinal, se eu tenho um kit de química logicamente vou querer fazer meus próprios tubos de ensaio! E com um maçarico, as crianças podiam fazer seus utensílios de vidro!

Agora chega o brinquedo mais incrível da história, o Gilbert U-238, seu Kit de energia nuclear! Ele tinha um curto prazo de uso, mas incluía quatro tipos diferentes de urânio, tornando o brinquedo mais perigoso da história. O kit incluía um contador Geiger (as crianças de hoje nunca irão aprender a usar um medidor de radiação...), uma câmara de nuvem em miniatura e livretos sobre materiais radioativos, como dividir átomos e tudo o que você precisava saber sobre energia nuclear. O Kit foi feito com auxílio do grupo de Ciências BÁSICAS dos EUA.

Havia também um outro folheto que deu as crianças um curso intensivo sobre como encontrar o seu próprio urânio. Afinal, alguma hora ele iria acabar e o Gilbert sabia que isso não era algo que se vendia na barraca da esquina.

Ele era tão bom que incentivou as crianças a procurarem por toda a parte, pois na época o governo americano pagava 10.000.00 dólares para quem encontrasse urânio. E você deve estar se perguntando, quanto valia um brinquedo tão maravilhoso quanto esse? 50 dólares!
(Tenha em mente que a cotação do dólar naquela época era diferente da de hoje, e claro, esse brinquedo era para crianças “ricas”).

Hoje em dia esse Kit é tão raro que vale milhares dólares, ele só foi fabricado por um ano, curiosamente ele causava câncer...

                                        


Após 41 anos, relembre o programa Bambalalão.




O Bambalalão foi um enorme sucesso da Tv Cultura que embalou a infância de muita gente. Estreou em 1977 com módulos gravados e passou a ser transmitido ao vivo do Auditório Cultura em 1982. O programa era voltado para crianças de 5 a 10 anos, tendo como proposta básica transmitir educação informal pela televisão.

Durante o período em que esteve no ar, Bambalalão foi dirigido por, além de Marcelo Amadei, Ademar Guerra, Antonio Abujamra, Arlindo Pereira, Memélia de Carvalho, Roberto Machado, Roberto Miller, Waldemar Jorge e Zita Bressane. A atração infantil como consultor educacional Pedro Paulo.

A turma do bamba era formada por Gigi Anhelli, a apresentadora Silvana Teixeira, que começou como atriz de Telecontos na emissora, o Palhaço Tic Tac, interpretado por Marilan Sales (que saiu em carreira solo, alguns anos mais tarde, indo morar em São José do Rio Preto/SP, de acordo com relato do mesmo), cuja característica principal era seu comportamento infantilizado, e Estabanado, como um moleque desbocado e respondão que, com um leve sotaque nordestino, distribuía apelidos e brincava com todo mundo.

Ainda tinha um intelectual cientista louco interpretado por Chiquinho Brandão chamado Professor Parapopó, aquele que usava sempre um paletó com estampa em xadrez e uma máscara de nariz-bigode-óculos que muitas crianças compravam em feiras-livres. Também fizeram parte da turma, em fases distintas, Helen Helene, Carlos Barreto, Dulce Muniz, João Acaiabe, Gerson de Abreu, Álvaro Petersen.




Além dos apresentadores, o programa ainda contava com os divertidíssimos bonecos Maria Balinha, João Balão, Bambaleão, Macaco chiquinho, Macaca Chiquinha, Sapo Agapito e Boninho, criados por Memélia de Carvalho e Fernando Gomes. A proposta do Bambalalão era que os bonecos falassem da realidade da criança.

O programa era dividido em quadros e estimulava constantemente as crianças através de atividades de lazer e arte, inseridas em jogos, brincadeiras, mímica, teatro e canções infantis compostas por Paulo Afonso, Moacir Júnior e apresentadas por Xyss. Entre os quadros presentes no programa, estavam: "Sessão Matinê", "Os Bambas da Turma", "O Correio" e "Quem Quiser Que Conte Outra", onde Gigi contava histórias criadas por Rosana Rios e Januária Cristina, e, no final de cada uma delas, Gigi sempre falava a frase: "Essa história entrou por uma porta e saiu pela outra, e quem quiser que conte outra!"

Gigi, que comandou o primeiro programa e ficou até sua última exibição comenta com saudade: “Quando me perguntam por que o Bambalalão acabou, nunca sei responder...”.

O programa foi ao ar pela última vez em fevereiro de 1990. Bambalalão ganhou o prêmio da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) de Melhor Programa Infantil nos anos de 1984, 1985, 1986 e 1987, além de Melhor Programa Infantil da Tv em 1982.

Era exibido ao vivo, das 16h00 as 17h00 de segunda a sexta, focado nas crianças de 5 a 10 anos e fiel as diretrizes da TV Cultura, sendo dirigido por Marcelo Amadei, com roteiro de Rosana Rios e contava com a participação de atores, bonecos, palhaços e garotas.




Turma do lambe lambe



A Turma do Lambe-Lambe, durante os dez anos em que esteve no ar, primeiro pela TVE e depois pela Bandeirantes, ajudou crianças de todo o país a desenhar e se familiarizar com os traços dos grandes mestres.

A apresentação era de Daniel Azulay, que avalia: "O grande diferencial do programa é que era educativo sem ser didático". Como uma espécie de irmão mais velho, Daniel não só ensinava as crianças a desenhar como também foi pioneiro em ensinar a fazer brinquedos com sucata e dobraduras.

O apresentador tinha formidável penetração junto ao público infantil, Azulay procurava estimular a criatividade, despertar o interesse e transmitir conhecimentos, contribuindo, assim, para a formação dos jovens. Além de trabalhar para a capacitação dos jovens, ele procurava fazer da arte um canal de inserção social.

Daniel Azulay rapidamente ficou famoso com sua Turma do Lambe-Lambe, e também lançou seis discos de músicas infantis - um deles com Lucinha Lins e Sivuca, em 1982. Em 1996, após dez anos fora do ar, voltou com o programa Oficina de Desenho Daniel Azulay pela TV Bandeirantes.

Entre os personagens de Daniel Azulay que estavam no programa como bonecos, tínhamos: Ritinha que sonha em ter um negócio próprio; a arteira e confuseira Damiana; a vaidosa e sentimental vaquinha Gilda, O malabarista Tristinho; o tagarela e grande mágico Pita; a galinha cozinheira Xicória que vive servindo de cobaia para o sábio Professor Pirajá, um grande conhecedor de diversas ciências; além do tímido Piparote.

Graças ao programa A Turma do Lambe-Lambe as crianças se divertiam com as situações inusitadas e muito engraçadas vividas diariamente pela turminha, enquanto se debruçavam com o canetão na mão vendo Daniel Azulay desenhar em sua lousa.

 




Há exatos 31 anos o cinema ganhava um clássico pop. O filme Dirty Dancing: Ritmo Quente estreou nas telonas norte-americanas em 21 de agosto de 1987. A história de amor entre Johnny (Patrick Swayze) e Baby (Jennifer Grey) fez muito sucesso e ganhou o mundo. A cena mais lembrada é da dança dos protagonistas ao som de “(I’ve Had) The Time of My Life”. Relembre!






21 LEMBRANÇAS INCRÍVEIS PARA QUEM VIVEU A INFÂNCIA NOS ANOS 2000


  1. A disputa diária entre o pai que queria assistir ao jornal e a filha que não podia perder um capítulo de “Chiquititas”.    


2. Quando, jogando o Show do Milhão em tabuleiro, você tentava imitar — sem sucesso — o bordão épico do Silvio Santos: “Você está certo disso?”.

3. Os primeiros aparelhos de DVD chegaram ao Brasil no começo dos anos 2000. Quem não tinha cadastro na locadora do bairro precisava se contentar com as reprises da Sessão da Tarde ou esperar um filme inédito ser exibido na “Tela Quente”.


4. Ai de você, menina, que hoje em dia esconde da sociedade que já usou o tênis da Sandy com meia colorida até o joelho!


5. Toda vez que eu olho para esse apetrecho, me vem à cabeça a imagem da Jade (Giovana Antonelli) fazendo a dança do ventre com um vestido verde esvoaçante em “O Clone”.


6. A papete do Guga combinava com qualquer peça de roupa. O difícil era convencer nossos pais disso.

7. Era nessa época que você desejava que os livros do Harry Potter fossem leitura obrigatória na escola.


8. Item encontrado nas bolsas e mochilas dos jovens brasileiros há mais de uma década, não podemos deixar de fora desta lista um inimigo declarado de nossos professores: o celular!


9. É do ano 2000 um dos maiores pivôs das nossas noites mal dormidas.



10. Quem não tinha uma amiga que colecionava T-U-D-O o que existia na face da Terra da novela mexicana “Rebelde”?


11. Ou que esperava, ansiosa, a revista da semana que vinha com o pôster do Felipe Dylon?



12. A lan house era o primeiro lugar onde os seus pais te procurariam caso não te achassem em casa.

13. Lembra quando você demorava uma vida só para encontrar a música que você queria ouvir no seu MP3?


14. As manhãs do começo da década de 2000 tinham Jaqueline Petkovic à frente do Bom Dia & Cia. Quem estudava de manhã sofria. A maratona de 4 horas de desenhos incluía Pica-Pau, Tutubarão, Cavalo de Fogo, Liga da Justiça, X-Men Evolution, Os Cãezinhos do Canil, Hércules, Du Dudu & Edu, As Meninas Superpoderosas, Coragem: o Cão Covarde, entre outros.


15. Mas quem estudava pela manhã não era esquecido. No final da tarde, a programação era interrompida pelos correligionários do Disney CRUJ!


16. Foi nesta década que você se viciou em reality shows como Big Brother Brasil, Casa dos Artistas, No Limite, Ídolos e Acorrentados.


17. A chance de o espírito Ragatanga baixar em você era altíssima!



18. “Ding, ding”: quando um sapo e uma música grudenta não saíam da sua cabeça.


19. Não podia passar um comercial do Lava Rápido Hot Wheels na TV que você já gritava: “Mãe, compra?”.


20. Sua prateleira de brinquedos não estava completa sem todos os personagens do Teletubbies nela.


21. Agora, quem não teve o perfil do Orkut hackeado, não discutiu o relacionamento por depoimento, não descobriu que o amor da sua vida morava a centenas de quilômetros de distância, não participou da comunidade “Eu odeio acordar cedo”, me perdoe a franqueza, mas não viveu intensamente esta década incrível.



Saudades ...

Amy Winehouse



Se fosse viva, Amy Winehouse faria hoje 35 anos. A cantora britânica morreu no dia 23 de julho de 2011. Tinha 27 anos quando foi encontrada sem vida na sua casa, no norte de Londres. Para trás ficaram êxitos como “Rehab”, do muito aclamado álbum “Back to Black”, do qual também faz parte o tema “Love is a Losing Game”.

Intérprete, compositora e letrista: uma artista completa. O nome de Amy Winehouse vai ficar na história da música para sempre. A consagração de Amy veio dos Estados Unidos, onde ela ganhou cinco Grammy.


Quem não se lembra ???

Novela Top Model



Duda é uma top model de sucesso. Ao ser contratada para desfilar os modelos da confecção Covery, entra em contato com os irmãos Kundera - Alex e Gaspar -, proprietário da empresa.[3] Gaspar é um ex-hippie remanescente da geração beatnik dos anos 60 - um surfista quarentão que mora em frente à praia e cuida dos jovens filhos: Elvis, Ringo, Jane, Olívia e Lennon, que teve com mulheres diferentes, numa relação de amor, compondo uma família harmoniosa, mesmo com a ausência das esposas que o abandonaram.[1] Ele não consegue enxergar o amor platônico da atrapalhada Naná, a amiga de todas as horas, que passa a disputá-lo com Mariza. Esta última é a mãe do filho mais novo de Gaspar, que um dia o trocara por seu irmão, Alex.

Já Alex é um representante dos yuppies dos anos 80. Dono da Covery, ele desenvolve uma relação de amor e ódio com a mãe, Morgana, e nutre um ciúme doentio por Gaspar, chegando a disputar tudo com o irmão, até mesmo a atenção da mãe.

Alex se apaixona por Duda. Ela, porém, ama o grafiteiro Lucas, que está no Rio de Janeiro, fugindo da polícia paulista, por ter-se envolvido num crime. Além disso, Lucas procura por seu pai, desconhecido, sem saber se ele é Alex ou Gaspar.

Paralelamente ao conflito entre os dois irmãos, e a história de amor de Duda e Lucas, Top Model narra o cotidiano dos adolescentes. Os jovens “filhos do divórcio” lidam com situações como separação dos pais, primeira menstruação, masturbação e gravidez precoce, vivendo histórias divertidas e emocionantes. Entre dúvidas e descobertas, os adolescentes tinham um diálogo aberto com o pai e formavam uma família harmoniosa, mesmo com a ausência das mães. Para completar, a família contava com a companhia do cachorro Maradona, que também conquistou o público.



Esta no ar



Vamos viajar no tempo, está no ar energia na veia .


Quem tem saudade ????



Inaugurado em 27 de julho de 1973, chamou a atenção de quem passava pela Marginal Tietê por conta da estrutura metálica do brinquedo Super-Jet e por um gigantesco letreiro luminoso que anunciava o parque à distância,O Playcenter marcou gerações por 39 anos em uma verdadeira montanha-russa de acontecimentos. O parque de diversões instalado em um terreno de 85 mil m² na Marginal Tietê, Zona Oeste de São Paulo, fechou em 2012, após quatro décadas de funcionamento. 

O responsável pela história do Playcenter é o engenheiro Marcelo Gutglas, que no final da década de 1960 trazia para o Brasil os fliperamas, inspirado por visitas a um parque de diversões em Nápoles, na Itália. O embrião do Playcenter surgiu nesta mesma época no ginásio do Ibirapuera, com brinquedos como o carrossel, Ciclone (primeira montanha-russa de metal do país) e o tobogã.

De 1974 a 1984, o parque se destacou pela estreia da Monga, a mulher-gorila, uma atração inspirada na mexicana Julia Pastrana (1834-1860), que tinha uma doença que fazia crescer pelos no corpo de forma descontrolada.

Com o lançamento do filme "King Kong", o parque apresentou um boneco de um gorila de 15 metros e recebeu a visita da atriz Jessica Lange, que repetiu a cena clássica em que o animal a segura nas mãos no alto do Empire State. Naquele período surgiu também a Montanha Encantada, inspirada na atração Small World, da Disney

Outra atração famosa foi a “Noites do Terror”, com atores vestidos de monstros, shows e labirintos para assustar os frequentadores.

Em 1984, o Playcenter foi palco do show do Menudo. Em 1993, o parque fechou mais cedo para receber a visita do astro pop Michael Jackson, que brincou no local por duas horas e meia.

A crise no parque começou em 1995, mesmo após a inauguração do Evolution e do Double Shock. 

Em 2002, Gutglas retomou o controle do Playcenter e iniciou uma reestruturação, que incluiu uma reforma completa no parque em 2005. Três anos depois a atração Monga voltou repaginada. Em 2010, 15 pessoas ficaram feridas no acidente envolvendo dois carros da montanha-russa Looping Star. Em outro acidente, desta vez no Double Shock, algumas pessoas ficaram feridas em 2011.

Em 2012, o Playcenter anunciou seu fim. Três anos depois, uma nova expectativa surgiu no imaginário dos saudoso público que frequentou o parque. Os administradores do Playcenter iniciaram negociação com a prefeitura de Olímpia, na região noroeste do estado de São Paulo, para voltar a funcionar no país. Apesar disso, não há nada de concreto.



O Pai do Soul


James Brown foi um ícone no cenário musical. Cantor, dançarino, compositor e produtor. Como um elemento forte na indústria, Brown deixou marcas por onde passou e influenciou muitos artistas como o rei do pop Michael Jackson.

Brown começou sua carreira profissional em 1956 e fez fama no fim da década de 1950 e começo da década de 1960 com a força de suas apresentações ao vivo e várias canções de sucesso.

Apesar de vários problemas pessoais, continuou fazendo sucesso durante os anos 80. Além de sucesso como músico, Brown também teve presença nas questões políticas dos Estados Unidos durante os anos 60 e 70.

Vejam algumas frases do Pai do funk:

* A música é tudo

A única coisa que pode resolver meus problemas é dançar e cantar. Música, é a base da felicidade.

* Família
Às vezes você se esforça tanto para alimentar a sua família de uma maneira, você esquece de alimentá-los de outra forma, com o alimento espiritual. Todo mundo precisa disso

* Ajude

Eu digo pra você: Ajude a você mesmo! Então poderá ajudar os outros.

* Uma vez

Só se vive uma vez.

* Alegria

Eu só quero uma coisa no mundo: Levar diversão às pessoas. É como a igreja. Ninguém vai a igreja para ganhar problemas, e sim para perde-los.

* Diga não ao preconceito

Não pratique o terrorismo. Pratique a organização. Não queime as crianças. Deem a elas, uma chance de aprender. A verdadeira resposta para o racismo no país é a educação. Não traumatizando e matando. Esteja pronto. Seja qualificado. Seja Alguém. Mereça algo. Isso é black power.



Dia da Independência do Brasil - 7 de Setembro

Parada Militar da Independência



A Independência do Brasil é o feriado em que se celebra a emancipação brasileira do reino de Portugal.

O Dia da Independência do Brasil se comemora no dia 7 de setembro de 1822, data que ficou conhecida pelo episódio do "Grito do Ipiranga".

A Independência do Brasil deu os primeiros passos às margens do riacho Ipiranga, hoje atual cidade de São Paulo. O Príncipe Regente Dom Pedro ordenou aos soldados que o acompanhavam que jogassem fora os símbolos portugueses que levavam nos uniformes.

Em seguida, gritou "independência ou morte" e a partir desse momento, simbolicamente, o Brasil não era mais uma colônia de Portugal.

Logo após a Independência, o Brasil continuou a ser uma monarquia, forma de governo onde os poderes são exercidos por um rei ou Imperador.

A primeira nação que reconheceu a independência do Brasil foi os Estados Unidos. Portugal apenas admitiu a independência em 1825, após o pagamento de uma indenização de aproximadamente 2 milhões de libras.

Atualmente, no dia da Independência do Brasil as escolas promovem desfiles pelas ruas da cidade, enquanto os alunos cantam os hinos da Independência e do Brasil.

As forças militares brasileiras – marinha, exército e aeronáutica – também fazem apresentações especiais ao público em homenagem a esta data.

O desfile mais solene acontece em Brasília onde participa o presidente da República e seus convidados.

História da Independência Brasileira
Com as invasões napoleônicas na Europa, a família Real Portuguesa decidiu que seria mais seguro se mudar para o Brasil. Assim, em 1808, a Corte Real desembarcou em terras brasileiras. Em seguida, os portos brasileiros passaram a ser abertos para todas as nações do mundo. Este foi o primeiro grande passo para o desejo de independência do país.

Porém, existiam diversos problemas como as divergências entre os portugueses e brasileiros, a escravidão, a luta por mais autonomia territorial, e etc.

No final de agosto de 1822, depois de se deslocar para São Paulo com o propósito de apaziguar uma rebelião contra José Bonifácio, D. Pedro resolveu romper os laços de união política com Portugal, mesmo com seu pai, o rei D. João VI, pedindo para que ele voltasse à Portugal imediatamente.

Com a emancipação, D. Pedro I foi coroado Imperador do Brasil.


Gerações .....

Anos 80




Muitos dizem que uma das melhores épocas musicais de todos os tempos foram os anos 80.

É praticamente impossível (para os que gostam) começar a ouvir as clássicas músicas desta época e não bater um sentimento muito bom que mistura nostalgia, liberdade, vontade de dançar e cantar.

Os anos 80 é (sim, ainda é) tão marcante assim por ter sido uma década de muitas mudanças no mundo, tanto político quanto cultural. Falando da parte cultural (ou melhor, musical), foi nos anos 80 que surgiram diversas vertentes do Metal, como o Trash Metal, o Speedy Metal e o Black Metal. Também foi a melhor década para o Hard Rock, na qual bandas como Scorpions, Guns ‘n Roses, Def Leppard, Bon Jovi, Whitesnake e Van Halen viveram suas épocas de ouro.

Além de todas as bandas e gêneros citados acima, os anos 80 também foi a década da música eletrônica. O impacto da música eletrônica foi tão grande que o New Wave e o Synthpop foram os gêneros mais populares da época. Ainda temos nosso querido Brasil, que também nos agraciou com bandas como Titãs, Ultraje a Rigor, RPM, Ira!, Blitz, Kid Abelha, 14 Bis, Legião Urbana, Metrô, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho e diversas outras bandas que também marcaram época (algumas ainda marcam até hoje) e são lembradas até hoje com o maior carinho e, quando tocadas, também causam os mesmos sentimentos citados no começo do texto.

As bandas que vão tocar nestas baladas, e que já é de conhecimento do grande público são: Depeche Mode, New Order, A-Ha, Joy Division, Billy Idol, Culture Club, Oingo Boingo, Sigue Sigue Sputnik, Pet Shop Boys, entre muitas outras. E pensando nestas bandas, eu vamos citar uma das 10 melhores músicas que tocam em festas .

A-Ha - Take On Me
Depeche Mode - Enjoy The Silence
Culture Club - Karma Chameleon
Billy Idol - Dancing With Myself
The Cure - Boys Don't Cry
Simple Minds - Don't You Forget About Me
New Order - Bizarre Love Triangle
The Smiths - Ask
Joy Division - Love Will Tears Us Apart
Erasure - A Little Respect






Anos 2000: os ícones pop que marcaram a década

Britney Spears, Christina Aguilera e Lindsay Lohan foram as divas da geração


Se você não ensaiou a coreografia de "Oops!...I Did It Again", ou não usou calça de cintura bem baixa, provavelmente não viveu os anos 2000. Os clipes, a cena pop e as músicas mais tocadas na MTV dominavam a geração com algumas mulheres que com certeza tinham espaço garantido no seu mp3 (lembra?) ou na sua TV.

Para matar a saudade, listamos 3 mulheres que foram ícones dessa geração. Olha só!

Britney Spears

Não dá para falar de anos 2000 sem pensar na Britney. Ela surgiu na mídia no fim dos anos 1990 como a princesinha do pop e foi ganhando cada vez mais espaço. Todas as meninas queriam se parecer com a cantora, que começou com um estilinho colegial, formou com Justin Timberlake um dos casais mais requisitados da época e, tempos depois, deu uma pirada, bateu em fotógrafos com um guarda-chuva e raspou os cabelos.

Christina Aguilera

Aguilera liderava as paradas com Britney. Inclusive, os fãs adoravam criar uma rivalidade entre as duas para discutir quem era melhor! A cantora surgiu no fim dos anos 1990 e ganhou o Grammy de artista revelação no ano 2000. Com um baita vozeirão, que faz sucesso até hoje, ela conquistou os fãs com seu talento e servia de referência para a geração com aquele pacote completo: barriga de fora, boina, cabelo com mechas coloridas, cinto de correntinha e tudo aquilo que você já usou um dia, mas prefere esquecer.

Lindsay Lohan

Lindsay conquistou fama ainda na infância, ao estrelar o filme "Operação Cupido", aos 12 anos. Mas o sucesso de atriz-mirim deu espaço para o rótulo de "garota-problema". Ela agitou os anos 2000 com algumas polêmicas, como roubo, dirigir embriagada, prisão e reabilitação.



“Um Maluco no Pedaço”

10 fatos que você não sabia sobre




A série “Um Maluco no Pedaço” estreou no canal NBC em 10 de setembro de 1990 e, desde então, tem coletado fãs pelo mundo. No Brasil, a sitcom estrelada por Will Smith tornou-se muito popular no SBT, que exibia durante as tardes da semana. Com seis temporadas e mais de 100 episódios, a série chegou ao fim em 1996.

Coisas que você não sabia sobre Um Maluco no Pedaço

#1 Devendo pra Receita

O ator Will Smith só aceitou participar de “O Maluco no Pedaço” porque devia uma boa grana à Receita Federal dos Estados Unidos: cerca de US$ 2,8 milhões. Ele já tinha fama por ser o rapper conhecido como ‘The Fresh Prince’. Por conta disso, quase chegou à falência, até que o produtor Quincy Jones (renomado por seu trabalho musical) o convidou para fazer a série. Assim, o governo decretou que 70% do salário do ator seria somente para pagar os débitos. Foi assim durante as três primeiras temporadas.

#2 Inexperiência de Will Smith

Will Smith ainda era um ator inexperiente para a série. Antes de “Um Maluco no Pedaço”, tinha participado apenas de um especial escolar na emissora ABC, como um vendedor de camisetas. “Quando assisto àqueles episódios, tenho vergonha. Minhas performances eram terríveis”, relembra o ator

#3 Will conheceu sua mulher em audições para a

Will Smith conheceu sua atual esposa, Jada Pinkett, em uma adição de “Um Maluco no Pedaço”. Na ocasião, ela passava por um teste para interpretar a namorada de Will na série. O papel de Lisa ficou com Nia Longs; Jada não foi aceita por ser “muito pequena”. Desde então, Will e Jada namoraram. Casaram-se em 1997.

#4 Dancinha do Carlton Banks

A inspiração da dança de Carlton (Alfonso Ribeiro) vem de Bruce Springsteen – mais especificamente de sua performance em “Dancing in the Dark” – com uma certa pitada de Courteney Cox (que tem versão ‘própria’ do hit) e Eddie Murphy, em “Delirious”. “Peguei essas duas danças e as combinei para formar a do personagem”, explicou Ribeiro.

#5 Duas atrizes como a Tia Vivian

O grande motivo para que a atriz Janet Hubert deixasse a série, a partir da 4ª temporada, foi porque os produtores queriam que a atriz não atuasse em nenhum outro trabalho durante as filmagens de “Um Maluco no Pedaço”. Ela não aceitou e, por isso, Daphne Maxwell Reid ficou em seu lugar. (Rumores indicam que o ator Will Smith tem participação nisso: em entrevista ao site “TMZ”, Janet chamou Will de ‘imbecil’ por não ter ‘puxado o saco’ dele na época das gravações.)

#6 De 4 para 6 temporadas

A ideia da emissora NBC era que a série terminasse na 4ª temporada, quando Will Smith retorna à cidade de Filadélfia, junto de sua mãe. Os fãs reclamaram e, por conta disso, a série voltou, com Will em uma van de volta à Bel-Air, na Califórnia. No total, “Um Maluco no Pedaço” teve seis temporadas

#7 Jazzy Jeff & The Fresh Prince

Jazz, parceiro de Will na série, também era um grande amigo fora das telinhas. Eles formaram a dupla DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince em Filadélfia, em 1985. Lançaram discos até 1993, sendo o mais famoso “He’s The DJ, I’m the Rapper” (1988), o primeiro álbum duplo da história do hip hop.

#8 Conexão com a série “In the House”

Os personagens Carlton e Ashley Banks (Tatyana Ali) apareceram na 2ª temporada da série “In the House”. É que Winifred Hervey e Quincy Jones, produtores de “Um Maluco no Pedaço”, também estavam por trás da série estrelada por LL Cool J e Maia Campbell. O tio Philip Banks (James Avery) também aparece no final da 2ª temporada, como juiz.

#9 Ashley também é cantora

A atriz que interpreta Ashley, Tatyana Ali, também era envolvida no meio musical. Em 1998 ela lançou um álbum, “Kiss The Sky”, que chegou a entrar nas paradas Billboard impulsionado pelo sucesso da série. Ganhou disco de ouro, mas não foi o suficiente para continuar com a gravadora MJJ Music, que rompeu por insatisfação com as vendagens. Recentemente, Tatyana mostrou que não desistiu da carreira e lançou um EP.

#10 Sucesso até na Baía de Guantánamo

Em 2012, as demandas por vídeos de “Um Maluco no Pedaço” superaram a procura por livros da saga “Harry Potter” na Baía de Guantánamo, em Cuba, onde estão presos terroristas (e suspeitos) mantidos pelo governo norte-americano.


bo-bo-bo-Bolinha, está na hora de você entrar na linha”.

Eliminatória do concurso para a escolha da nova bolete



Muito pouco se fala a respeito desse que é um dos maiores comunicadores da TV brasileira, símbolo de autenticidade, simpatia e sucesso de audiência: Edson Cury, mais conhecido pelo seu apelido “Bolinha”.

Bolinha é o símbolo de uma televisão alegre e popular e que vai muito além da pobre e vazia alcunha de “brega”. Ele, junto com tantos outros nomes, levava alegria e diversão de uma maneira leve e descontraída. Vestindo suas camisas coloridas, sempre abertas até a altura do peito e marcadas pelo suor (reflexo da ausência de ar condicionado e da alta temperatura gerada pelos imensos refletores), Bolinha incendiava a plateia com os maiores nomes da música, além das Olimpíadas de Calouros e de diversos outros concursos, em especial o Eles e Elas, que fez muito sucesso durante a década de 1980 apresentando performances de travestis e transexuais. Uma dessas travestis, Telma Lip, fez tanto sucesso que se tornou a principal jurada do Clube do Bolinha e chegou a ser capa da revista Playboy.

Edson Cury começou sua carreira na Rádio Cultura de Araçatuba, sua cidade natal. Lá, era repórter de campo e locutor esportivo. Depois, seguiu para a cidade de São Paulo e foi trabalhar na Rádio Excelsior. De lá, foi para a TV Excelsior, onde teve a chance da sua vida: em 1967, Chacrinha, então maior audiência da emissora, havia ficado doente e não iria poder apresentar seu programa. Para substituí-lo, chamaram Bolinha, que já era conhecido pelo seu jeito irreverente de ser. Resultado: o programa, que anteriormente registrava 21 pontos no IBOPE, registrou 36, deixando os executivos da emissora muito animados. Assim nascia o dominical A Hora do Bolinha que, mais tarde, transferiu-se para a TV Record e, em seguida, para a Bandeirantes, já com o nome de TV Bolinha.

O TV Bolinha era totalmente bancado pelo animador, que chegou a ter de vender o próprio carro para pagar a produção. Cansado de tanta luta e já tendo sofrido um infarto, Bolinha saiu do ar em 1979, retornando ao vídeo só em 1986 pela Rede Bandeirantes, aos sábados, e agora como contratado, com o novo Clube do Bolinha, sua atração mais famosa e mais recordada pelos brasileiros.
O Clube do Bolinha chegou a ter seis horas de duração e enfrentava dois concorrentes muito fortes: Chacrinha, na Globo, e Raul Gil, na época no SBT. Ainda assim, o “liquidificador musical” (forma como gostava de definir seu programa) alcançava, por diversas vezes, o primeiro lugar de audiência.

Aliás, uma curiosidade: a famosa marchinha-tema do programa do Bolinha (utilizada desde a estreia da Hora do Bolinha na Excelsior) foi gravada pelo apresentador Raul Gil para o Carnaval de 1967.
Bolinha, Bolinha
Está na hora de você entrar na linha
Bolinha, Bolinha
Está na hora de você entrar na linha

Cantando bem,
Você ganha os parabéns
Cantando mal,
Vai cantar no seu quintal

Bo, Bo, Bo, Bolinha
Está na hora de você entrar na linha
Bo, Bo, Bo, Bolinha
Está na hora de você entrar na linha

Em 1994, em meio ao reposicionamento da Bandeirantes como um canal essencialmente canal esportivo e masculino, o Clube do Bolinha saiu do ar. Edson Cury veio a falecer em 1/7/1998, aos 62 anos.

Mais que um registro, este artigo é uma homenagem a esse fantástico comunicador pela sua grande contribuição à música e à televisão brasileira. Bolinha merece sempre ser lembrado por nós, que devemos a ele muitas tardes de alegria.


Domingo no parque !!!!!

Silvio Santos vem ai ......



A atração infantil surgiu na TV Tupi em 1977 no programa dominical de Silvio Santos e trazia séries como Mulher Elétrica e Garota Dínamo, Ark II, Joe 90 e desenhos como Super Presidente.

Em 1978 Gugu Liberato que tinha sido contratado por Sílvio Santos como assistente de produção chegava a direção do programa. Quando a Tv Tupi fechou em 1979 o infantil transferiu-se para Record, vindo em seguida para a TVS onde ficou até 1986.

O Domingo no Parque era o primeiro programa apresentado por Sílvio Santos em suas atrações dominicais. Tratava-se de uma gincana infantojuvenil envolvendo duas escolas adversárias, com premiação de brinquedos e tênis (em especial o Tênis Montreal, grande patrocinador do programa por longos anos).

Outro quadro de destaque era aquele com a participação de bebês na brincadeira de jogar o dado. Mas, entre as atrações a que mais fez sucesso foi a brincadeira do “Foguete”, onde a criança participante entrava numa câmara com isolamento acústico aonde ela deveria gritar apenas “Sim” ou “Não”, logo após Sílvio Santos propor trocas estranhas como uma Barbie por uma Bicicleta BMX Pantera da Monark. O quadro provocava risadas, quando a criança trocava (sem ouvir) um brinquedo caro por um sorvete, por exemplo.

Ainda no programa, as crianças ganhavam bonés com orelhinhas como as do Mickey e o distintivo do programa Clube do Mickey e tinha aquela latinha onde ou saía uma flor ou uma cobrinha e as crianças gritavam de medo! Os participantes podiam durante o programa ganhar um tênis Montreal, só precisavam estar afiados para falar o nome do modelo “antimicrobiel”.



12 coisas constrangedoras que só aconteciam nos anos 80 e 90!



Os anos 80 e 90 sem dúvida deixaram saudade: afinal os hits mais populares tocados até hoje nas rádios, como o lançamento do tipo mais diferente possível de moda, bandas, além dos costumes que só os saudosos se lembram bem, marcaram a vida de muitas gerações de maneira positiva.

Entretanto, precisamos concordar que as décadas de 80 e 90 aceitavam de tudo: sim qualquer coisa mesmo. Desde capas de CDs e chocolates extremamente bizarras (ou tendenciosas), até aos costumes mais esquisitos, os quais podemos dizer que de fato sobrevivemos às bizarrices da mídia, e nem tudo era tão ruim assim.



Comercial antigo dos anos 2000

Semp Toshiba 50 meses de garantia sem cobrar nada a mais por isso.



A Semp Toshiba trouxe um comercial muito inesquecível, onde uma mulher levava a televisão dela para arrumar, (com a mensagem de que se tem garantia e qualidade da marca) o atendente japonês não acredita e começa a chamar todo mundo, por fim descobre que a televisão da marca não estava quebrada e sim as pilhas do controle remoto que estavam ao contrario. Semp Toshiba 50 meses de garantia sem cobrar nada a mais por isso. Comercial digno de ser lembrado.


Como estão os cantores que nos enlouqueciam nos anos 90

Sinéad O´Connor





Lembra da Sinéad O’Connor, famosa no começo dos anos 90 pela música “Nothing Compares 2 U”, pelo belo rosto, as polêmicas (ela rasgou a foto de João Paulo II) e a careca? Pois então, os anos deixaram a cantora irreconhecível: meio rechonchuda, com um visual tiazona e sem sua marca registrada, o cabelo raspado.


Navio Energia na Veia 2019

Eles voltarammmmmm .... Capital inicial



Eles estiveram em 2017 e foi maravilhoso, vocês vão perder em 2019??
Roupa Nova
Jorge Ben Jor
Os Paralamas do Sucesso e eles Capital Inicial a bordo no Navio Energia na Véia!

Informações e reservas: (11) 3624-9007 ou pelo site: www.navioenergianaveia.com.br


Anos 80

Aquaplay


Se você tem mais de 30 anos, certamente passou muitas horas vidrado no Aquaplay, tentando pendurar argolas flutuantes em pequenos ganchos de plástico.

Aquaplay foi um brinquedo muito popular nos anos 80, produzido pela Estrela, tinha dezenas de modelos diferentes, o jogo era composto de um recipiente de plástico transparente que era cheio de água onde, através de um ou dois botões na parte dianteira, você executava tarefas que variavam de acordo com o modelo. Por exemplo, um golfinho que deveria encaixar todas as argolas em um espeto; ou ainda, uma bola de basquetebol que deveria passar dentro da cesta.

Dava para fazer campeonatos nos aquaplay de esporte, como futebol e basquete. Muitas gentes fazia coleções com vários tipos de Aquaplay que foram lançados de modelos diferentes.

Veja os Modelos lançados:
Argolinha: onde tínhamos que encaixar as argolas em 2 pinos;
Bolinhas: encaixar as bolinhas coloridas em 2 tubinhos;
Esportes: tinha de futebol, basquete, onde 2 pessoas jogavam ao mesmo tempo;
Agua: Pescaria, Golfinhos...



Quem se lembra dos "Bailinhos de Garagem"?

Sábado dia de bailinhoooo.



Lembram quando tínhamos 13, 14, 15 anos e o maior acontecimento das nossas vidas eram os bailinhos? Eles aconteciam no quintal de casa, na garagem do vizinho ou no terraço de alguma menina da turma…

Para fazer um bailinho não precisava muito: bastava encostar as cadeiras na parede, enrolar o tapete deixando espaço suficiente para dançar, determinar quem levava o quê ( geralmente as meninas levavam as comidas e os meninos os refrigerantes), convidar o mesmo número de meninas e de meninos para que todos tivesse um par e ninguém ficasse sozinho, dispor a vitrola portátil num lugar estratégico e, o mais importante, selecionar as músicas… Ah, as músicas… As famosas músicas lentas que embalaram as nossas primeiras fantasias, músicas que ficaram para sempre em nossas vidas.


O presente que ninguém consegue esquecer!

Não esqueça a minha Caloi



O slogan “Não esqueça a minha Caloi”, criado e adotado nas campanhas publicitárias que a empresa realizou em 1978, ficou marcado na memória do público brasileiro até os dias de hoje. A campanha apresentou um dos mais ilustres personagens da publicidade brasileira - Zigbim – que incentivava a garota a lembrar de um presente especial: uma bicicleta CALOI.

A distribuição dos famosos bilhetinhos pela casa inteira com o slogan “Não esqueça a minha Caloi” acompanhou milhares de crianças em sua incansável batalha para ganhar de presente a sua tão sonhada bicicleta.

Mate saudade do VT histórico que lançou esta campanha:



Cinema Júpiter

Os grandes cinemas de bairro



Hoje vamos lembrar daquelas grandes salas de cinemas que havia em praticamente todos os bairros de Sampa, e em especial lá na Penha

O Cine Júpiter
Inauguração : 04/04/1950
Filme inaugural: Tarde Demais … de Willian Wyler com Olivia de Havilland e Montgomery Clift.
Capacidade: 1900 lugares

Que saudade da São Paulo daqueles tempos...nossa Cidade cresceu...as salas de cinema até aumentaram em quantidade e qualidade...mas que falta fazem aqueles cinemas de bairro onde desfilaram tantos astros, aquele velho projetor a carvão e a moçada gritando histericamente diante das imagens de John, Paul, George e Ringo ou do hoje vovô Roberto Carlos...a velha Praça 8 de Setembro e suas fontes luminosas...


Acordaaaaa tá na hora do café.



Filme do Café Seleto se destacou pelo jingle criado por Arquimedes Messina. A campanha teve início em 1974, ganhou algumas versões em animação, e foi usada pela empresa em várias oportunidades. A produção musical é de Theo de Barros, arranjador de Disparada (Geraldo Vandré), e interpretado pela cantora Clélia Simone, com impressionante voz infantil.


Esse era o WhatsApp
Você vivia uma vida boa, almoçava com a sua família, conversava com as suas amigas, prestava atenção nas reuniões do trabalho, socializava nas festas, fofocava com as vizinhas e o melhor de tudo tinha um único grupo para administrar hahahaha, eita tempo baummm !!!!
Chama todo mundo do grupo e avisa que está no ar o Energia na Véia.


Atrações - Navio Energia na Véia 2019



Prepare seu coração e assista o vídeo oficial, está emocionante.



Festa Junina da Véia



Confira o álbum completo, acesse!


- Entre em contato com o programa
- Ver todos os programas
(11) 94353-0150
Áudio
Vídeo
Parado - Volume 50%
ver em tamanho maior
Night Sessions
A Voz do Brasil - A Voz do Brasil

280 / 280 caracteres