Notícias

Anvisa recebe nova solicitação de uso emergencial da vacina russa, Sputnik V

Pedido anterior será cancelado e a agência tem até 7 dias para conclusão de análise


26/03/2021


CORONAVÍRUS

#EnergiaNews


(Foto: Luís Lima Jr./Fotoarena/Estadão Conteúdo)

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu nesta sexta-feira (26) um novo pedido para uso emergencial da vacina Sputnik V.

A agência ainda divulgou através de um comunicado que o pedido anterior pelo laboratório União Química (que representa no Brasil, o Fundo Russo desenvolvedor da vacina) será cancelado.

Agora, a Anvisa tem até sete dias para concluir a análise dos dados caso não haja nenhum questionamento em relação aos documentos apresentados.

"A análise do pedido de uso emergencial é feita por uma equipe multidisciplinar, envolve especialistas das áreas de registro, monitoramento e inspeção", diz a nota.

No momento, o Brasil tem usado apenas duas vacinas contra a Covid-19, a CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan e a AstraZeneca/Oxford. A vacina da Pfizer teve registro definitivo aprovado pela Anvisa, o governo comprou 100 mIlhões de doses do imunizante, mas a entrega do primeiro lote só acontecerá em abril.



SOBRE OS DADOS PENDENTES

Em uma reunião realizada na última terça-feira (23) com representantes da União Química e do Instituto Gamaleya, da Rússia, a Anvisa destacou alguns dados pendentes para que o uso emergencial da vacina contra a Covid-19, Sputnik V seja aprovada.

A agência informou, através de nota, que entre os pontos de destaque estão a falta de dados sobre aspectos de caracterização, produção e controle de qualidade da vacina, além da linha de produção do imunizante na Rússia que precisa ser identificada no processo.

“O acesso ao banco de dados dos estudos clínicos faz parte da avaliação da Anvisa para possibilitar melhor entendimento sobre como os dados clínicos foram gerados e analisados”, diz a nota.


(Foto: Divulgação)

Vale lembrar que no começo do mês de março, o Ministério da Saúde assinou o contrato para receber 10 milhões de doses da Sputnik V, que serão importadas da Rússia pela União Química. No entanto, para ser aplicada na população brasileira precisa do aval da Anvisa.


POR: Tamiris Felix




ÚLTIMAS

+LEIA TAMBÉM: ButanVac é a nova vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan

+LEIA TAMBÉM: Ministério da Saúde compra 10 milhões de doses da vacina russa "Sputnik V"

+LEIA TAMBÉM: Brasil vai receber matéria-prima para produzir 32 milhões doses da vacina de Oxford

+LEIA TAMBÉM: Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina da Johnson & Johnson






Navio da Véia
Festa da Véia
Estádio 97
Energia na Véia
(11) 96650-7997
App Android
App iOS

Desenvolvimento
Hospedagem e
Streaming